Os 6 maiores erros do Marketing Imobiliário

Atualizado: Jul 29


Separamos aqui alguns dos principais erros que as pessoas costumam cometer no Marketing Imobiliário e algumas dicas para você não cometê-los mais.


#marketingimobiliario #estrategiasdecomunicacao #blog3djobs #3djobs #mercadoimobiliario #errosnomarketingimobiliario



É muito comum as construtoras e imobiliárias insistirem no mesmo comportamento em relação ao seu marketing e comunicação, o que significa que, na maioria das vezes, não alcançam os resultados esperados. Aqui, vamos apresentar Os 06 Maiores Erros que as pessoas cometem na hora de promover seu próprio negócio e/ou empreendimento e como soluciona-los de maneira simples.

Descubra a seguir se comete algum deles e aprenda como se livrar uma vez por todas dessas atitudes que só atrapalham suas vendas e seu crescimento.



1. Não possuir presença digital ou não se apresentar de maneira profissional nas redes sociais


Não é novidade dizer que o mundo mudou, e consequentemente, as formas de se promover, comunicar e vender estão diferentes. Porém, ainda tem muita gente que continua apegada aos velhos hábitos, não percebendo a importância de adotar novas ferramentas para encontrar seus clientes e se comunicar com eles corretamente.


Esse é um dos erros mais comuns entre as imobiliárias e construtoras. De fato, o investimento em imóvel é bem mais complexo do que outras áreas (como o varejo, por exemplo), mas isso não impede que seu negócio esteja bem posicionado.


Algumas imobiliárias, por exemplo, continuam sem investir em uma presença digital profissional e, por se tratar de um mercado muito tradicional, não conseguem inovar ou criar um conteúdo relevante. Além de não entenderem que tal investimento significa uma construção de imagem a longo prazo.


Hoje em dia, ter um site bem feito, atraente e de fácil usabilidade é fundamental; estar nas redes sociais com conteúdos bonitos e relevantes, ter constância em postagens, possuir uma linguagem humanizada e divulgar seu negócio com transparência se tornou quase uma obrigatoriedade para aqueles que querem manter suas atividades. Neste sentido, podemos ver que os novos tempos exigem que nos apresentemos de uma nova forma. Por isso, para que sua empresa se mantenha no mercado, invista em sua comunicação e na construção de uma imagem profissional, tanto nas redes, quanto fora delas.



2. Não possuir boas imagens do projeto/imóvel


Aquela expressão popular que diz: “uma imagem vale mais que mil palavras” é muito bem representada no mercado imobiliário, pois ter uma imagem de qualidade pode valer muito mais do que longas conversas ou argumentos de convencimento.


É muito comum serem apresentadas ofertas imperdíveis, condições especiais, facilidade de pagamento etc, porém a foto ou representação gráfica não consegue expressar isso, o que desvaloriza o imóvel e não gera o retorno esperado.


Um exemplo do que estou falando são fotografias com baixa resolução, desfocadas, tremidas, ou ainda fotos com ambientes bagunçados e “pedaços aleatórios” de cômodos, tais como cantos de sala e quinas de teto. Ou, quando o caso é a representação gráfica do projeto, imagens com renderização amadora e 3D mal feito.


É fundamental entender que as imagens são de extrema importância para gerar interesse pelo imóvel, são elas o primeiro contato que o potencial cliente tem, tudo parte deste princípio, afinal, uma fotografia bem tirada ou um 3D bem produzido, se destacam em qualquer anúncio ou portal. É como quando vamos a um restaurante, a apresentação do prato tem o incrível poder de abrir nosso apetite em uma fração de segundos, somente pelo fato de o prato ser bonito.


Portanto, esteja atento a alguns detalhes: na hora de tirar foto, prefira a luz natural, ou seja, tire-as durante o dia; esteja atento à qualidade da imagem, dê preferência às resoluções mais altas; ajuste o foco; não trema; se o imóvel estiver mobiliado, peça ao proprietário que deixe tudo arrumado no dia de fazer o álbum; e nunca economize na quantidade de fotografia, assim terá opção para escolher as melhores.



3. Não gerir sua marca corretamente


A gestão de marca é uma das coisas mais importantes para qualquer empresa, pois auxilia a definição de questões cruciais para o negócio, tais como: os valores pregados e praticados, a identidade, o posicionamento, o público-alvo que deseja atingir, a linguagem que deve ser utilizada, entre outras coisas.


Não se preocupar com a gestão da marca significa que sua empresa não definiu como se comunicar com seu público e nem como se “comportar” diante de situações do dia a dia (ou até mesmo perante uma crise). Logo, gerir sua marca leva a entender melhor seus propósitos, ajuda a compreender com clareza seus objetivos e saber quais são as melhores estratégias.


Sendo assim, gerir uma marca auxilia como nos apresentamos para nossos clientes, parceiros, fornecedores e colaboradores, ela também contribui para a construção de uma imagem sólida, confiável e profissional, e é isto que o cliente muitas vezes leva em consideração para o amparar na hora da tomada de decisão. Por isso, este processo de gestão de marca deve ser constante e acompanhado de perto, assim os efeitos serão ainda melhores e duradouros.



4. Não possuir planejamento estratégico


Não fazer planejamento é muito comum no Brasil, independente do porte ou segmento da empresa. Digo isso com conhecimento de causa, através da experiência adquirida nos meus anos trabalhando com consultoria em marketing de serviços.


É muito comum sermos procurados por pessoas que esperam “resultados milagrosos”, sem mesmo definir questões elementares, como prazos, orçamento, objetivos e metas. Em vários momentos, nos deparamos com empresas que procuram a 3dJobs para ser uma executora de seus projetos, mas quando perguntadas do público-alvo, cronograma e objetivos, não conseguem responder.


O planejamento estratégico deve ser o primeiro passo antes de qualquer ação, ele nos ajuda a encontrar respostas, a definir o que é importante para nosso negócio e/ou projeto, ele é o nosso “Norte”, nossa bússola, a referência que nos guia para atingir nossos propósitos. É importante ressaltar que ele deve ser revisto com frequência e alterado quando necessário, para que esteja sempre alinhado ao objetivo da campanha, do lançamento ou até mesmo estar de acordo com as mudanças sofridas pela organização ou pelo mercado, de modo geral.


Já vi vários empreendimentos que tinham tudo para ser um sucesso de vendas, fracassarem porque as ações eram “soltas”, feitas sempre às pressas. Como consequência temos desperdício de tempo e dinheiro.


Seguir um plano é a fórmula para minimizarmos erros, prevermos crises, tomarmos decisões, mensurarmos resultados e atingirmos nossas metas e objetivos, por isso ele é fundamental!



5. Querer apressar os resultados


Querer resultados imediatos é algo corriqueiro, queremos emagrecer no primeiro dia na academia, queremos que as pessoas nos respondam imediatamente nos aplicativos de mensagens, queremos que as pessoas pelas quais estamos apaixonados nos correspondam o mais breve possível, enfim... Apressar os resultados parece estar na genética humana!


O marketing digital e o avanço da tecnologia, só trouxeram mais pressa. Alguns acreditam que ter uma presença digital é o suficiente para que novos negócios sejam fechados; ou “comprar uma lista de leads” é a solução para a falta de clientes.


Na verdade, o que as pessoas do mercado imobiliário esquecem (ou não sabem mesmo) é que a decisão para a compra de um imóvel envolve diversos fatores, tanto emocionais, quanto racionais, e além disso, trata-se da compra mais cara da vida de qualquer um (do rico ao pobre), o que torna este processo muito complexo. Ou seja, sair “coletando e-mails” e contatos se torna um “tiro no pé”, é como se saíssemos à rua abordando pessoas oferecendo imóvel, sem estudarmos o produto ou público-alvo e sem ter a mínima noção do quanto isso é ineficaz.


De fato, atuar no mercado imobiliário exige capacidades essenciais, principalmente para lidar com o anseio de apressar as fases que fazem parte da venda, da divulgação do empreendimento ou da captação de leads.


Nesse sentido, é preciso entender que em alguns casos, o que vai fazer toda a diferença será o processo, a maneira de se relacionar com seu cliente e de prestar o suporte adequado dentro das necessidades dele, pois quanto maior for sua proximidade, acompanhamento e relacionamento, mais satisfatório será seu resultado.


Aqui, vale a máxima que nossa mãe sempre nos diz: “Você levou 9 meses para nascer, dá para esperar?!”



6. Não compreender os processos do Marketing Imobiliário

Não é difícil encontrar pessoas que não entendem de determinados assuntos envolvidas em áreas que exigem técnica, preparo e entendimento, como é o caso do marketing imobiliário. Ao contrário do que muitos pensam, essa área necessita de capacitação e de profissionais especializados, isso porque o mercado imobiliário tem peculiaridades que o torna complexo.


Frequentemente, entram em contato conosco, imobiliárias e construtoras decepcionadas com agências que prometiam cuidar de tudo, mas que não compreendiam as especificidades que a área possui.


O marketing imobiliário é composto por longas etapas, que exigem paciência e a clara noção de que o “timing” para a tomada de decisão é maior do que para se escolher qualquer outro produto.

Com isso, o erro mais comum é não investir no Marketing Imobiliário da maneira correta, respeitando essas singulares características que fazem dele uma área tão apaixonante!!!


Esses são os erros mais comuns que nos deparamos. E você, será que está cometendo algum deles? Espero que possa se livrar o quanto antes. Através de uma análise sincera do seu negócio, será possível enxergar quais pontos precisam de maior atenção, assim poderá melhorar seu desempenho e conquistar novas oportunidades.

A praticidade de ter tudo para marketing imobiliário em um só lugar.

3dJobs Marketing Imobiliário

11 9 8669 4226 | 11 3280 8680

Av. Fagundes Filho, 145 cj. 35

Vila Monte Alegre - São Paulo - SP

CNPJ 32.749.514/0001-30

Copyright © 2020 Designed by 3DJobs